Quem mata o tempo não é assassino, é suicida.

Millôr Fernandes