Reserva para Emergências

Antes de começar a investir, precisamos de uma reserva para emergências. Essa reserva é a primeira linha de defesa pra problemas financeiros.

Ela serve como um irmão mais velho, ou tio rico, do qual vai pegar dinheiro emprestado quando precisar.

De forma geral, investimos apenas o que não vamos precisar no curto prazo. A razão pra isso é que, se precisarmos antes do dinheiro, pode ser que tenhamos que resgatá-lo num mau momento. A reserva evita esse problema.

Quando mando dinheiro pra corretora, mando sem previsão de volta. Não vou resgatá-lo tão cedo. Meu objetivo é a criação de renda. É claro que, se entrar um gasto planejado, como viagens de férias, vai haver um investimento específico pra isso. Mas viagem de férias não é uma emergência.

Emergência é o que está fora do planejamento. Pode ser um acidente ou uma oportunidade incrível que apareceu de repente. Algo inevitável e que não estava planejado.

Minha reserva é de seis meses o valor das minhas despesas mensais. Ganhei esse hábito por ter sido freelancer por muito tempo, e assim correr o risco de ficar um bom tempo sem trabalhar. Pra quem tem um emprego estável, três meses está de bom tamanho.

E como eu já fiz uso dessa reserva! Quando preciso, gasto. Quando recebo, reponho.

Cada caso é um caso. Tem gente que pode mesmo contar com um tio rico. Eu não, só com a minha fiel reserva de emergência. Ou seja, sou meu próprio tio rico.

Normalmente, coloco uma parte (metade, ou um pouco menos) na poupança, que rende pouco mas tem liquidez diária. Liquidez é a velocidade com a qual um ativo pode virar dinheiro. A da poupança, por exemplo, é muito grande. A de um imóvel é muito pequena.

O restante coloco em outro lugar, também de renda fixa (aquela que você já sabe quanto vai receber ao investir – poupança, fundos DI, Tesouro Direto, LCI e LCA, etc), com um rendimento um pouco melhor. Geralmente, um fundo DI da corretora (com taxa de administração baixa – menor que 0,5%). Pois assim ainda tenho algum capital pra manobrar numa eventualidade.

A partir daí, estamos prontos pra investir. A reserva de emergência é um mecanismo de proteção, um seguro, não um investimento.

Nesse tempo, se você precisar de algum dinheiro, não se preocupe. Seu novo tio é tão generoso quanto rico. Com a ajuda dele, você está pronto pra começar a investir.

E se você não entendeu todas as siglas nesse artigo, não se preocupe. Em pouco tempo vai entender tudo.

No próximo artigo de finanças pessoais vamos ver como dividir seu dinheiro entre os diversos investimentos.

Deixe sua opinião