Meditação

Há muitos anos, li o livro “Poemas da Cabana Montanhesa”, do monge japonês Saigyou, e no qual havia uma citação de um monge que chegava a recitar 60 mil vezes por dia o mantra “Namu Amida Butsu“.

Aquilo me deixou muito intrigado. Porque raios um monge (ou quem quer que fosse) passaria o dia inteiro repetindo uma mesma frase curta? Como nas orações católicas, em que repete-se muitas vezes nos terços e rosários. Até que, lendo o livro, me veio o pensamento de que, enquanto a pessoa repete uma frase altamente nobre e positiva, ela está inteiramente focada em bons pensamentos. Nesse momento, todas as formas de orações repetidas ganharam um sentido pra mim.

Parece muito simples, mas até então, eu não tinha entendido isso. Naquela época, eu não sabia que a palavra mantra quer dizer “controle (ou proteção) da mente”.

Muitos anos depois, esbarro com um amigo de ascendência japonesa que praticava meditação e pregava seus benefícios. E ainda outros anos mais tarde, e procuro todas as maneiras que podia pra aumentar a concentração e me proteger de estresse no trabalho. E ouvi a dica de uma amiga budista.

Como muitos, imaginava que meditação era como uma espécie de psicoterapia, que daria resultados quase imperceptíveis depois de décadas de prática. E como eu estava errado!

Procurei algumas pesquisas recentes sobre meditação, e a seguir foi o que chamou minha atenção.

Um estudo recente mostra que três sessões de 20 min aliviam dores.

Muitos artigos mostram o uso de meditação no tratamento de transtornos de estresse pós traumático em veteranos de guerra. As imagens de ressonância magnética funcional mostraram uma enorme queda na atividade cerebral depois de um treinamento básico seguido de prática diária.

Até a sensação de felicidade aumenta com a prática de meditação! (Através da auto estimulação do sistema de recompensa)

Ótimo! Meditação parece uma maneira muito eficiente de controle de estresse. Mas e quanto aos benefícios para quem estuda?

É o que veremos em breve! Até lá!

Deixe sua opinião