Dormir para Produzir

Nosso padrão de sono é um bom motivo pra dizer não a quem justifica a falta de foco no “equilíbrio”. Nosso padrão de sono é tudo, menos natural.

O historiador Roger Ekirch mostrou em seu livro At Day’s Close: Night in Times Past que nós originalmente não dormíamos 7 ou 8h seguidas. Na idade média, as pessoas iam pra cama logo depois que o sol se punha, acordavam por volta da meia noite, ficavam acordados por volta de uma hora e depois dormiam até o sol nascer.

O hábito de dormir numa só vez começou no final do século XVII com a iluminação de rua e doméstica, e os cafés – muitos ficavam abertos a noite toda. A revolução industrial, quando os operários trabalhavam por longas horas sem regulamentação, foi a pá de cal no sono segmentado.

Uma experiência realizada por Thomas Wehr mostrou que, sem energia elétrica, os hábitos de sono voltam ao padrão da idade média.

Sobre estudos de sono, muitas pessoas se referem à experiência de 1972 de Michel Siffre, quando ele ficou 6 meses numa caverna no Texas. Seu padrão de sono foi modificado em ciclos que variavam até 48h de vigília. Bem, pra mim isso faz tanto sentido quanto trancar uma pessoa num lugar em que receba luz intensa por 24h durante seis meses.

O ciclo circadiano, que é o que comanda as horas de sono e vigília e seus vários estágios, está relacionado com a liberação de substâncias que administram o sono, recuperam a pele, músculos, memória, regulam a fome e humor e por aí vai.

Aqui está um estudo que mostra que 6h de sono por duas semanas já é o suficiente pra te dar uma performance parecida com a de quem ficou acordado três noites seguidas!

Foram 4 grupos e por duas semanas: o primeiro ficou 3 noites sem dormir. Os outros dormiram 4, 6 e 8h, respectivamente.

Ao longo dessas duas semanas, o desempenho da turma foi avaliado. O grupo das 8h não teve mudanças. Como era de se esperar, quem virou três noites teve uma super queda no rendimento. O grupo que dormiu 4h também. E tanto o grupo das 4 quanto o das 6h foram perdendo desempenho progressivamente.

O mais incrível foi o grupo que dormiu 6h: o rendimento caiu quase ao nível do grupo que ficou 3 noites sem dormir, mas eles não se deram conta disso! Nos primeiros dias se sentiram cansados, mas depois achavam que estava tudo normal!

Ainda que sejamos todos diferentes, o mínimo são 7h. Adolescentes precisam de mais sono. E se você faz esporte, precisa de ainda mais sono.

Nesse incrível estudo, um time de basquete conseguiu um aumento significativo de performance ao estender de 8 para 10 horas de sono diárias. Em média, foram 9% de precisão a mais nos lances livres e cestas de 3 pontos, além de terem ficado mais rápidos nos sprints e reportado melhorias no bem-estar físico e mental.

Sono é fundamental pra estudar! Afinal de contas, é no estágio REM do sono que você passa as informações que estudou pra memória de longo prazo! Ou seja, se não dormir bem, não está aprendendo bem!

Nada de “dormir menos pra aproveitar o tempo”. Vamos dormir mais para produzir mais e melhor!

9 Comentários

  1. Walter Lembil
    ·

    Esse lance das 6 horas me pegou mesmo. Realmente quando temos 6 horas de sono “parece” que estamos normais. Vou mudar a rotina pra permitir noites mais longas!

    Responder
    1. ZNP
      ·

      Me pegou também! Agora estou fazendo tudo pra dormir mais! Pelo menos não estamos mais na revolução industrial!

      Responder

  2. ·

    Interessante.Quando eu ia para a fazenda do meu pai, onde não tinha energia, íamos para a cama (rede)no max 19 horas e acordávamos 7 horas, tinha gente que emendava ate 10 horas.beirando as 15 horas de sono.Seria interessante um artigo sobre o sono polifásico, tem muita gente praticando isso, dormindo 2 horas por dia.

    Responder
  3. William
    ·

    Olá, recentemente, mesmo indo a contra neurociência, bolei algumas ideias e fui pesquisar a respeito na internet até que me deparei com um artigo que afirmava que algumas pessoas, principalmente as que tendem a ser depressivas . tendem a ter uma cognição melhor se forem privadas do sono.

    Segue o link:http://www.scientificamerican.com/article/sleep-deprivation-amps-up-brain/

    Eu concordei com o artigo pela experiencia pessoal que tenho, geralmente quando estou privado de sono, dormindo 2 a 3 horas por dia , acontece um desbloqueio , fico mais criativo,calculo mais rápido é etc. Por outro lado, quando durmo muito(6 a 9 horas) os efeitos são contrario, aparentemente fico melhor , porém a diferença quanto minha capacidade mental é muito perceptível .

    Antes do artigo sair eu ficava meio preocupado em dormir pouco e contrariar as pesquisas cientifcar, mas quando vi o artigo, tive mais certeza do que eu desconfiava e passei a continuar dormindo 2 a 3 horas por dia.

    Só que fiquei em duvida, o site acima é confiável?

    Responder
    1. ZNP
      ·

      Olá William,

      O site que você citou faz referência a um estudo específico. Estou certo de que é possível achar o paper deste estudo com a metodologia e as conclusões. Mas repare que o artigo não cita a privação de sono como uma alternativa para melhoria do desempenho mental. Ao contrário, corrobora a ideia de que ataques epiléticos são mais frequentes durante a privação do sono, e que a retenção de informação é reduzida durante a privação!

      A razão apontada é que estamos constantemente formando mais sinapses, e muitas delas são inúteis. Formar novas sinapses aumenta a atividade cerebral. Uma atividade que aumenta durante a privação. E o sono seria uma maneira de separar as novas sinapses úteis das demais. Ou seja: a privação de sono prejudica a retenção de informação.

      O ponto do artigo é que, por conta do aumento da atividade cerebral, em pacientes SEVERAMENTE deprimidos, com atividade cerebral ANORMALMENTE baixa, a privação de sono ÀS VEZES surte um efeito positivo. Muito provavelmente, não é o seu caso!

      Por via das dúvidas, você pode fazer uma experiência prática. Anote num diário o quanto dormiu e como se sentiu. Essa prática simples pode apontar seu período ótimo de sono.

      E muito obrigado pelo comentário! 😉

      Responder
    2. Jukio
      ·

      Olá william,

      Há novas pesquisas que estudam o ser humano em perspectivas evolutivas e varias delas sugerem que práticas como jejum e privação de sono ,por curto período, estimula a neurogênese e em alguns casos podem ajudar no tratamento de doenças ou danos no sistema nervoso central.Além das evidencias cientificas, os pesquisadores , ou a maioria deles, citam a evolução como a responsável pelo mecanismo da neurogênese em períodos de jejum e privação de sono.É importante lembrar que quando se trata de pesquisas cientificas devemos dar mais valor as mais recentes,falo isso, pois antes predominava a ideia de inibição da NG com privação sono e jejum, porém as pesquisas mais recentes estão confirmando o contrario.Não quero te induzir a continuar dormindo pouco, mas do ponto de vista evolutivo , jejum e privação do sono era comuns na vida de nossos ancestrais. .

      http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0361923006000426

      Há outros artigos na mais não tenho tempo para procurar. Se tiver interessado pesquise no google sobre
      -fasting and neurogenesis
      -‘One night’ sleep deprivation stimulates hippocampal neurogenesis
      -fasting and evoluçao.
      -neurogenesis.

      É um assunto bem interessante de ser estudado, acabamos por perceber o quanto é comum ver discrepâncias entre os artigos científicos ao longo do tempo.

      Responder
      1. ZNP
        ·

        Olá Jukio! No artigo que você mencionou, a neurogênese – processo que acontece no hipocampo de indivíduos sadios – foi observada como fator de influência no humor de pacientes depressivos, já que era conhecida que a privação de sono em uma noite melhora por um dia o humor desses pacientes, mas não em indivíduos sadios, nem por longos períodos de tempo.

        A neurogênese do hipocampo pode ser influenciada por muitos fatores, incluindo idade, estresse, aprendizado, influência do ambiente e exercícios físicos. Então, me parece uma estratégia mais assertiva melhorar a rotina de modo a ter estímulos variados, controlar o estresse, continuar estudando e aprendendo, e fazer exercícios físicos regularmente.

        Obrigado pelo comentário!

        Responder
  4. matheus
    ·

    O único problema é conseguir tempo para dormir.A única forma de eu conseguir dormir o recomendável é me dedicando apenas ao estudo e.trabalho,ou seja, nada de filmes nem saidinhas,só assim me restariam 8horas.

    Responder
    1. ZNP
      ·

      Opa, Matheus! SE o filme virar um episódio dum seriado, já é pelo menos um hora de sono que aparece! O legal é tentar pelo menos uma semana e ver como você se sente. Pode bem ser que valha a pena! 😉

      Responder

Deixe sua opinião