Embaralhando os Estudos com a Prática Variada

Já vimos antes como usar a repetição espaçada para aumentar a retenção de um assunto na memória. Estudar eficientemente não é só ter uma sessão adequada e evitar o overlearning. Mas também como organizar a forma como você estuda para aumentar a fixação.

Normalmente, todo o conteúdo é mostrado um passo de cada vez. Primeiro uma etapa, depois outra.

Aprender a nadar é um processo que envolve inúmeras sessões com pernadas, inúmeras sessões com braçadas, e assim por diante. Faz sentido, certo? Os próprios livros didáticos fazem isso. Os exercícios são sempre relativos ao capítulo imediatamente anterior.

Então, sessões típicas de prática ou estudo seguem o seguinte formato:

AAAA BBBB CCCC DDDD

Isso é o que se chama de estudo blocado. A prática variada acontece da seguinte forma:

 ABCD BADC DCBA CDAB

Curiosamente, essa prática produz melhores resultados no longo prazo, embora durante as sessões de prática os participantes não apenas performem melhor, como aqueles que aprenderam pela prática variada deem crédito à prática blocada pelo aprendizado!

A razão pela qual isso acontece parece ser a “dificuldade desejável” – entre as quais as práticas espaçadas e variadas.

Um dos estudos onde isso foi apontado está aqui. Outro estudo, ainda mais específico, sobre como variar a resolução de problemas de matemática, mostra os benefícios da variação.

Aqui segue um vídeo bem curto com Robert Bjork, em que ele dá alguns exemplos:

Talvez esses estudos ajudem a colocar uma luz em como organizar suas sessões de estudo para aumentar a retenção no longo prazo.

Se você está estudando para passar em concursos, vestibular ou aprendendo um idioma, adicionar a prática variada pode fazer diferença. Mas não vai ser fácil!

4 Comentários

  1. Gutex
    ·

    Isso parece ser desafiador de manter…
    Irei tentar por em prática com estudo de idiomas.

    Responder
    1. ZNP
      ·

      Exatamente, Gutex. Pelo jeito, o desafio começa no próprio material didático, que é feito blocado desde sempre. Poderiam pelo menos alternar o conteúdo dos exercícios no decorrer das explicações.

      Responder
  2. razmth
    ·

    Só depois dessa postagem me veio à mente o porque de tantas aulas serem espaçadas em dias, com horários invertidos. 😀

    Acho que a alternância em disciplinas é obviamente benéfica, até pra espairecer. Mas não sei se precisaria ser MCPI CPMI IPMC, etc. acho que bastaria um MCPI MCPI MCPI (Matemética, Ciências, Português e Inglês, respectivamente), por exemplo.

    Entretanto, fazer esse zigzag maluco com os conteúdos de cada uma dessas áreas, acho que já é bem mais desafiador. É isso que apontam os estudos?

    Responder
    1. ZNP
      ·

      Opa raz! Aqui tem uma explicação menos técnica sobre o estudo. Basicamente, depois de cada tutorial, o grupo do estudo blocado fazia exercícios apenas sobre o que tinha visto. O outro grupo fazia exercícios misturados, não apenas sobre o tutorial recém assistido.

      Uma razão pela qual funcione é que a cada exercício, temos que recuperar a informação relativa àquele assunto, e isso reforça esses circuitos como a repetição espaçada faz. Outro motivo é que, ao encontrar seguidamente exercícios diferentes, você tenha que identificar e fazer uma distinção entre as matérias, o que cria mais conexões!

      Ao estudar matemática, por exemplo, vale colocar problemas velhos no meio dos novos. Misturar os exercícios. Provavelmente, quem estuda com um bom sistema de repetição espaçada, como uma caixa Leitner ou um ANKI já faz isso! Provavelmente…

      Responder

Deixe sua opinião