Zbrush para Iniciantes

Então você quer começar a esculpir em 3d, mas não tem ideia do que fazer quando abre um programa como o Zbrush?

Vamos ver tudo o que é necessário para fazer um modelo como o The Imp (ainda em andamento).

A primeira coisa que você vai reparar é que, ao começar a modelar, você simplesmente não consegue!

Ao clicar, tudo o que vai conseguir é usar algum modelo como um carimbo aloprado, fazendo dezenas de cópias pela área de trabalho.

Isso acontece porque o Zbrush tem alguns módulos diferentes. Um deles é DRAW e o outro é EDIT. Em DRAW, você vai carimbar seu modelo. Normalmente, é assim que você aproveita modelos diferentes.

Para começar do zero, normalmente sai de uma malha base do Zbrush, uma malha feita num programa 3d como 3ds Max ou Maya, ou de primitivas (objetos geométricos simples como esferas, cubos).

Se carimbar um modelo 3d (o zbrush sugere alguns assim que abre – duplo clique em algum dele pra abrir. Você também pode acessar essa opção depois apertando , ), pode começar a modelar indo pro modo EDIT (aperte T). Também terá acesso a muitas opções (inclusive EDIT) apertando a barra de espaço.

Se tiver bagunçado sua área de trabalho, CTRL + N vai resolver.

NAVEGAÇÃO

Existem algumas maneiras de navegar. Em Preferences >> Interface >> Right Click Navigation pode ajudar a deixar a navegação mais intuitiva.

PAN: Alt + botão direito (ou esquerdo)

ROTAÇÃO: botão esquerdo fora do modelo + arrastar (ou botão direito + arrastar em qualquer parte)

ESCALA: Alt + botão direito, depois solte o Alt (eu sei, leva um tempo pra acostumar)

Em qualquer ponto da rotação, apertar SHIFT vai prender a rotação em 90 graus. Ajuda um bocado! E se o modelo está escorregadio, apertar F vai centralizá-lo. UFA!

VAMOS MODELAR!

Comece puxando vértices pra cá e pra lá e usando os brushes diferentes até não ter mais detalhes pra adicionar. Então, é hora de colocar mais detalhes. Você subdivide seu modelo com CTRL + D. O legal é que pode voltar ao modelo com menos detalhes, modificá-lo, e essas mudanças vão continuar no modelo detalhado! Você desce nas subdivisões com SHIFT + D e sobe com D.

Se quiser que o que faz de um lado do modelo seja espelhado para o outro lado, aperte X. Isso é útil no começo do modelo. Mais pra frente, se estiver modelando uma pessoa, vai querer desligar isso, porque ninguém é simétrico.

Durante a modelagem, vai querer mudar 3 características do seu brush constantemente: tamanho (aperte S), intensidade (aperte U) e foco (aperte O).

Novamente, pode acessar tudo isso e mais um pouco com a barra de espaço.

Usando qualquer brush, apertar SHIFT vai suavizar o modelo, apagando levemente os detalhes. E apertar Alt vai inverter o efeito (como afundar, ao invés de levantar).

Se quiser saber o que pode fazer com seu modelo, aperte B. Aí estão todos os brushes disponíveis (e você pode baixar outros!).

MÁSCARAS

Caso você queira mudar apenas uma parte do modelo, aumentar o nariz, por exemplo, basta fazer uma máscara. Você faz isso apertando CTRL e pintando sobre a área desejada. Essa área será intocada pelos brushes. Se quiser inverter a máscara, clique fora do modelo. Para suavizar a máscara, clique dentro do modelo. E com as alterações feitas, arraste fora do modelo para desistir da máscara.

TRANSPOSE TOOL

Com essa ferramenta, você pode mover (W), rotacionar (R) e escalar (E) seu modelo. Aperte qualquer uma dessa opções e redesenhe essa linha sobre o modelo. Agora preste atenção no que cada círculo faz.

Você pode cortar, esticar e torturar o modelo de várias formas. Leia o que aparece logo abaixo dos menus, em amarelo e branco, quando passa o mouse sobre os círculos. Caso queira mudar o ponto de rotação, por exemplo, basta desenhar a linha outra vez.

SALVANDO

Porque estou destacando a função de salvar? Bem, porque durante a modelagem do The Imp, uma vez resolvi salvar o “document”, e depois não pude mais editar o modelo. Perdi um dia inteirinho de modelagem! Isso porque document é só a área de trabalho! Nem sei pra que existe essa opção! Pra provar que designers de interface ficam bêbados?

Aí eu aprendi que teria que salvar o tool, que é a maneira tradicional de salvar modelos 3d no zbrush.

E tem project, que salva tudo. Daí pra frente, passei a salvar como project, mesmo ocupando mais espaço. O programa volta exatamente como você o deixou!

CONCLUSÃO

Abordei só a parte técnica. A parte artística depende de olhar muita referência, inclusive em vídeo, e de adicionar todo o detalhe que você quer naquele nível de subdivisão antes de subir para o próximo.

Fazer pausas constantes ajuda a se afastar do modelo e ver claramente o que está errado. Para iniciantes, é muito comum você achar que o modelo está ótimo, sair por meia hora, abrir o programa e ficar chocado com a feiura do que vê! Isso é normal. Sabe os Pato Donalds de parque de diversão? Os Pica-paus pintados em carrocinhas de pipoca? Aqueles bichos tortos, sem proporção? É isso aí!

Com a prática, você acerta mais do que erra. E quem sabe, um dia modele assim (foi postado na Zevista Zemanal 10):

Para mais respostas, inclusive sobre personalização da interface, veja a documentação oficial.

4 Comentários

  1. razmth
    ·

    E eu achando que desenhar uma pessoa no papel, ou mesmo uma pintura digital era uma arte de outro mundo, hahahaha. Agora eu vi o modo survive disso. 😀

    Responder
    1. ZNP
      ·

      Esse vídeo do Tywin é lindo, né? Que maneira incrível de começar o dia! 😉

      Responder
  2. Vinicius Rocha
    ·

    valeu foi muito util, fiquei muito contente quando achei a solução aqui, estou usando o zbrush a algum tempo e as vezes eu bugava meu personagem ou carimbava muitos atras dele por esquecer de ativar o modo edit e nao sabia como tirar aquilo, o Ctrl+N foi a solução para mim, e aposto que servira para muitos outros

    Responder
    1. ZNP
      ·

      Obrigado pelo comentário, Vinicius! Aqui tem alguma coisa de Zbrush, mas em breve vou postar mais! Valeu!

      Responder

Deixe sua opinião