O Efeito do Ano Novo

Além do estudo sobre “Empacotar Tentações”, a prof Milkman tem pesquisado o efeito de começar uma atividade nova (“fresh start”). É o efeito do ano novo: aquelas resoluções que não se cumprem.

Ela pesquisou o efeito do calendário – ano novo, segundas-feiras, aniversários, feriados, etc na adoção de hábitos que não duram (ou seja, não chegam a ser hábitos).

Viu que as pessoas tendem a usar os marcos no tempo como uma maneira de dissociar seu comportamento do passado de uma nova atitude, como começar uma dieta, praticar meditação ou parar de fumar.

Identificou dois pontos positivos: um é o começo propriamente dito. Não há como continuar o que você não começou!

Outro é que algumas ações que podem impactar as nossas vidas profundamente não precisam de um engajamento duradouro. Começar a pagar um plano de previdência privada (ou poupança programada), tomar uma injeção contra gripe uma vez por ano, fazer um exame preventivo e outros.

Tudo bem, mas isso não é exatamente uma novidade, certo? O que tem de bom em saber isso? O bom é justamente isso: saber. E estar preparado.

Se a grande maioria das pessoas não segue novas resoluções em marcos no tempo, podemos fazer 2 coisas:

1) Não traçar novas resoluções em marcos no tempo.

Isso tem duas razões: uma é a própria ineficiência. Simplesmente não funciona!

A outra é que adiar é sempre uma perda de tempo! Se a gente esperar até segunda pra diminuir nos doces, teremos perdido alguns dias (e talvez engordado um pouquinho)! Se a gente esperar o próximo semestre pra começar um curso, teremos perdido alguns meses!

2) Começar hoje!

Quer diminuir o café? Não beba a próxima xícara! Quer fazer exercícios? Faça hoje, nem que seja pouco, antes do banho. Não tem 10 minutos para praticar meditação? Almoce mais 10 minutos mais rápido ou não tome o cafezinho! Mas não invente desculpas!

Deu tudo errado? Comeu um pudim, dormiu até mais tarde, fumou um cigarro, gastou o dinheiro da poupança? Tudo bem! O próximo segundo é tão novo e cheio de possibilidades quanto o que passou.

Cada dia é uma oportunidade de melhorar a alimentação, buscar um tempo para leitura, ouvir uma entrevista num podcast, evitar gastos desnecessários. Mesmo que o começo seja uma quinta-feira. Mesmo que seja abril.

“Pra frente” não é um lugar. É uma direção.

Não é um ato. É um processo contínuo. Vamos precisar enfrentar problemas a vida toda. Estudar a vida toda. Evitar a auto recompensa pra sempre. Os resultados que temos são consequências inevitáveis do que fazemos. E na maior parte das vezes, não é 1º de janeiro.

PARA SABER MAIS

Entrevista com a professora Milkman no Freakonomics. Como sempre, sensacional! Esse episódio também fala sobre o “Temptation Bundling”!

2 Comentários

  1. Arthur
    ·

    Ótimo ZNP!

    É isso que eu sempre falo para minha namorada, pra que deixar pra segunda o que você pode fazer hoje? Se você quer emagrecer, se quer voltar para a academia, volta hoje, e não daqui um mês.

    Responder
    1. ZNP
      ·

      É isso aí, Arthur! Cada dia é uma oportunidade nova de melhorar os hábitos um pouquinho!

      Obrigado pelo comentário!

      Responder

Deixe sua opinião