Três Garrafas
do Chile Asiático

Este texto foi publicado em 2011 no blog WineLeaks Brasil, do BK72, um querido amigo que conhece um bocado de vinhos. Na época, eu morava na China, e achar algum vinho razoável não era moleza.

TRÊS GARRAFAS DO CHILE ASIÁTICO

Depois da experiência na Tailândia, assim que cheguei à China fui inspecionarfree shop, à procura de boas garrafas. A limitação de escolha é grande: boa parte é de vinhos franceses cujos nomes parecem fazer incluir 20% ao preço. E na China, um risco a mais: os vinhos franceses são os preferidos dos falsários. Achei também o mesmo sortimento de vinhos chineses de exuberantes embalagens, que já havia encontrado em alguns supermercados.

Com esses parâmetros, fiz o que tantos brasileiros fazem: procurei o Chile. E na Ásia, o Chile vinícola é a Austrália (sim, eu sei que a Austrália fica na Oceania): o novo mundo onde são produzidos vinhos competentes a preços competitivos. Eu ainda prefiro o Chile original, mas por aqui, mesmo se isentos dos – serei eufemista– absurdamente abusivos impostos brasileiros sobre os vinhos, ainda resta o frete.

Em outra oportunidade, lembro que já cheguei a beber o Marques de Casa y Concha pela metade do preço brasileiro simplesmente porque estava na África, e não em Pindorama. Mas não vamos entrar nesse assunto pra não avinagrar a conversa.

Jacob's CreekChamou-me a atenção um espumante Jacob’s Creek Chardonnay Pinot Noir, que pela bagatela de 87 yuans(nem 22 reais) gerava suspeitas. Ainda mais por vir numa caixa com 2 flutes (o nome fresco pra taça de espumante).

O sabor e a acidez estavam justos – pro valor pago – mas as bolhas deixaram a desejar.

De acordo com a publicação científica Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), existe 30 vezes mais sabor nas bolhas do que no resto da bebida.
 
Gérard LigerBelair, professor da Universidade de Reims, na França, diz que, se as bolhas forem menores e em maior quantidade, haverá mais delas pra liberar sabor e aroma. E as primeiras bolhas desse espumante eram grandes, grosseiras e encerravam o expediente muito cedo. Afinal, pra que serve um espumante que não espuma?

A garrafa seguinte da Jacob’s Creek foi um Reserve Shiraz Vintage 2007 – produto da região de Barossa. Esse sim estava muito bom. As safras anteriores ganharam vários prêmios, incluindo ouro no Concours Mondiale deBruxelles, Selections Mondiales de Vins Canada, e noTasters Guild & International Eastern Wine USA. O próprio 2007 também levou suas medalhas. Mas sei que medalha em vinho é tão confiável quanto campeonato de telecatch.

Na Austrália custa 15 doletasostralhanas” – umas 25 dilmas. Comprei por volta de 32. Nem preciso dizer que os preços que achei no Brasil, pela internet, eram muito maiores, com um ágio distribuído entre frete, impostos e ganância.

O aroma era meio tímido, mas soltou um pouco depois. O sabor cumpre o que o rótulo promete: frutas vermelhas escuras e ameixas. É um vinho de bom corpo e cheio da energia que falta aos vinhos asiáticos, de uma forma geral.

Foi desarmonizado com COXINHAS DE GALINHA, pra revolta dos experts que por ventura possam ler o blog. Estava uma delícia! É logico que atravessa um pouco, mas coxinha na Ásia é gol de goleiro. E como a pressa de ser feliz é grande, desceu fácil.

Por fim, o Jacob’s Creek Reserve Cabernet Sauvignon Vintage 2009 da região de Coonawarra. Esse, pelo mesmo preço do anterior, estava um tanto mais ácido e amargo que o Shiraz, lembrando azeitonas, menta e rúcula (tá, a parte da rúcula é brincadeira). Não é um mau  – eu escolheria ele toda vez contra qualquer vinho chinês que já bebi – mas perto do Shiraz, que estava mais equilibrado entre taninos, amargor e acidez, decepciona.

Segue o site da Jacob’s Creek.

Resta dizer que cada garrafa foi num dia diferente. E se algum leitor achar um desses danadinhos numa loja brazuca, pode comentar o preço, porque fiquei curioso.

Algo me diz que vou voltar à Austrália mais vezes, nem que seja só com a taça.

6 Comentários

    1. ZNP
      ·

      Grande BK! Duvido muito que os valores ainda batam! Nesse meio tempo, o dólar bateu e o real apanhou!

      Meados do mês que vem estarei no Rio. Que tal a gente planejar um post especial pro Wineleaks Brasil?

      Responder

      1. ·

        Perfeito. Avise com antecedência pois sua visita é sempre muito aguardada por vários.

        Responder
        1. ZNP
          ·

          Estive aí correndo no FDS, e só tive tempo de ver a família! A próxima oportunidade é post certo! Valeu, Bk!

          Responder
    1. ZNP
      ·

      Olá, Márcia! Degustação da Jacob’s Creek em Curitiba? Onde foi? O que rolou? Fiquei curioso!

      Obrigado pelo comentário!
      Z

      Responder

Deixe sua opinião