Nas Mãos do Destino

Um koan é uma pequena história, diálogo, pergunta ou afirmação feita para provocar reflexão. É uma das bases do budismo Zen.

O Shaseki Shu é uma compilação de koans do mestre zen Muju, do século XIII, à qual foram adicionadas outras histórias, do século XIX e XX, e publicada em 1919 por Nyogen Senzaki com o nome 101 Zen Stories. Vou começar por elas, na esperança de entender um pouco do Zen.

Algumas dessas histórias são enigmáticas, outras são surpreendentes, e algumas não fazem o menor sentido – pra mim. Agora deixo ao seu critério.

NAS MÃOS DO DESTINO

Um grande guerreiro japonês chamado Nobunaga decidiu atacar o inimigo, embora tivesse um efetivo de apenas um décimo deste. Ele sabia que poderia vencer, mas seus soldados estavam em dúvida.

No caminho, ele parou num santuário xintoísta e disse ao seus homens: “Depois de visitar o santuário, vou jogar uma moeda. Se vier cara, venceremos; Se for coroa, perderemos. O destino nos tem em suas mãos.”

Nobunaga entrou no santuário e ofereceu uma prece em silêncio. Então veio adiante e jogou a moeda. Deu cara. Seus soldados ficaram tão empolgados que venceram a batalha com facilidade.

“Ninguém pode mudar a mão do destino” – disse seu atendente depois da batalha.

“De fato” – respondeu Nobunaga, mostrando a moeda com cara nos dois lados.

8 Comentários

    1. ZNP
      ·

      No começo também achei que ele trapaceou o destino. Mas tendo ganho, será que trapaceou? Ou o destino dele era ganhar a batalha, independentemente da moeda? Hmm…

      Responder
        1. ZNP
          ·

          Grande Gineto! Essa, não conhecia. Já recomendei aqui o dicionário do Outlier, também financioado pelo Kickstarter (que atingiu a meta). E tenho um livro que foi escrito e traduzido por muito amigos (inclusive pela Sra ZNP) na China, que fala sobre vários aspectos da cultura e História chinesa. Tenho o exemplar em espanhol/chinês. Se quiser, depois posto aqui.

          Você curte História da China ou está estudando alguma coisa relacionada a isso?

          Abração!

          Responder
        1. ZNP
          ·

          O que não quer dizer que o senhor vai fazer flashcards com a pergunta dos dois lados só pra faturar a copa de procrastinação! 😀

          Responder
          1. razmth
            ·

            Mas no meu caso eu não tenho que mostrar para um exército que eles são capazes. Meu exército de neurônios aprendeu por meio da argumentação científica que você nos apresentou. 😀

Deixe sua opinião