Ajuste Fiscal

Já lemos o suficiente sobre o ajuste fiscal do governo pra ver que – se for pra frente – vai ter pouco corte nos gastos e um bocado de aumento de impostos.

E 2015 está sendo um ano desafiador pra muita gente. A atividade econômica teve grave retração e espera-se queda no PIB de -3%. A inflação ronda os 10%. E nos últimos 12 meses, o Brasil perdeu 1,24 milhões de vagas de trabalho.

Alguém tem que fazer alguma coisa. E se você é brasileiro há muito tempo, sabe que é você mesmo.

Essa balança não é novidade. Para termos mais reservas, podemos cortar gastos ou aumentar a receita. E ao cortar gastos, aceleramos a formação da reserva. Indexar os gastos à receita é estar à beira do desastre, seja qual for essa receita.

Um recente artigo acadêmico feito nos EUA analisou dados de todos os jogadores de futebol americano da NFL entre 1996 e 2003. A média teve uma carreira de 6 anos, período em que fez US$3,2 milhões. Nada mal! Mas apesar disso, um em cada seis jogadores declarou falência 12 anos após parar de jogar.

Manter os gastos baixos é importante. E uma medida que ajuda é anualizar a despesa. R$250 reais de uma despesa fixa custa R$3 mil por ano.

Aqui em casa houve uma diminuição grande no PAF (Programa de Aceleração Familiar), enquanto outros investimentos não puderam ser cortados.

A nova máquina de lavar, por exemplo, vai representar a médio prazo um corte nos custos de manutenção e ao mesmo tempo aumentará o saneamento. A antiga (uma doação da sogra), se juntar todos os consertos, compraria a refinaria de Pasadena.

Por outro lado, o ministério dos esportes cortou a academia, substituindo por calistênicos gratuitos feitos em casa.

A austeridade chegou ao ministério da agricultura, que suspendeu o consumo diário de vinho, aprovando apenas às quartas (pra diminuir a semana) e aos finais de semana.

O único que não sofreu cortes foi o ministério da educação e cultura. Mantidos os cursos online pagos, incluindo inglês, e o de japonês. Livros à vontade, contanto que os já adquiridos sejam lidos.

Todos os editais para baladas e jantares foram cortados, exceto os em casa, seja convidando ou sendo convidado.

O ministério das comunicações continua sem data para licitação de celular ou TV. E é ótimo não ter celular e não ver TV.

Vale mencionar que a folha de pagamento não sofreu grande desoneração, pois já não havia gastos com diarista.

A conta do banco já havia sido trocada para conta digital – que é o auto atendimento. É curioso o quanto os bancos tentam evitar que sua conta seja alterada. DOCs/TEDs gratuitos já seria um bom motivo.

Não ter tarifa de manutenção não tem preço. “Mas é o valor de um estacionamento” – me disse a gerente. “Exato, o estacionamento dum carro que não tenho” – respondi. Isso sem falar nas extorsivas taxas para qualquer investimento. Foi tarde.

O ministério dos transportes foi muito elogiado, já que o gasto com cartão fidelidade do metrô (que é um desconto bom pra quem usa metrô) vai ser reduzido.

Minas e energia trocou a iluminação por lâmpadas que gastam menos, e os aparelhos elétricos não dormem em stand-by.

O ministério da saúde intensificou a prevenção, estendendo a meditação, exercícios e buscando melhorias no sono (diminuição do vinho antes de dormir também ajuda) como medidas de combate ao estresse.

O ministério do trabalho passou a aceitar convênios e parcerias, a estimular o máximo uso da força produtiva através de programas de cooperação nas áreas de limpeza e manutenção, iniciando a jornada cedo, intensificando a luta contra a procrastinação, e promovendo projetos que aumentem a arrecadação.

Sendo assim, estou feliz em declarar que já não há despesas fixas que possam ser cortadas. E as despesas variáveis sofreram uma diminuição tão forte quanto era possível.

Mais de um mês de implementação dessas despesas e o resultado é sucesso!

E o seu ajuste fiscal?

10 Comentários

    1. razmth
      ·

      Cliquei sem ver que não tinha terminado o post. Você voltou a fazer inglês? Que curso online é esse? Pode recomendar? Mesmo gostando mais do que esperava do meu curso “gratuito” (bancado pelo governo) de 4h/semana, acho que perdemos um certo tempo fazendo atividades de livro em sala que poderiam ser melhor aproveitados de outra forma.

      E essas lâmpadas? São as de led?

      Responder
      1. ZNP
        ·

        Opa raz! O inglês é da patroa. Englishtown. Ela gosta, e ainda frequenta as aulas ao vivo, conversação, faz todas as atividades. Pra quem tem disciplina, vale a pena! O jeito no seu curso talvez seja complementar com atividades que você curta, e que não necessariamente estão incluídas no curso. Filmes com legenda em inglês, seriados, sites de jogos, jogos mesmo… tudo isso acelera uma barbaridade! Leitura também!

        E sim, são lâmpadas de led. 😉

        Responder
        1. Anônimo
          ·

          To precisando voltar a praticar meu inglês, que está enferrujando gradualmente :p. Vou começar a assistir minhas séries, que acompanho no fim de semana, com legendas em inglês pra praticar 😀

          Responder
          1. ZNP
            ·

            Olá, Anônimo! Já usou flashcards? Temos a oportunidade perfeita para dar um belo trato no seu inglês!

            Abração e obrigado pelo comentário!

  1. BK72
    ·

    Aqui, os vinhos foram trocados por cervejas de forma bem agressiva. São 3 ou 4 vinhos por mês agora…
    Aliás, um postzinho sobre cervas iria bem.
    Abracios

    Responder
    1. ZNP
      ·

      Valeu, Rafamp! Sem o ajuste, estaria perdido! 😉

      Obrigado pelo comentário!

      Responder

Deixe sua opinião