Curso de Meditação Budista Tibetana

O tema da semana 5 do curso de meditação budista tibetana da Universidade da Virgínia pelo Coursera é insight.

Com mais de 9 horas de vídeo, essa semana é a mais pesada. Boa parte do material envolve engajamento, seja nas oficinas de meditação, seja nas muitas passagens que obrigam a buscar referências para entender o que está sendo explicado.

A essa altura do curso, a minha percepção é a de que quiseram fazer um curso tão abrangente quanto possível, mas sem preocupação com o aluno iniciante.

Quem não conhece os fundamentos e encara as palestras do prof Germano, desanima. É acadêmico e monótono. A melhor passagem de todas as suas palestras veio justamente nessa semana, contando uma experiência pessoal no Tibete.

Quem quer uma introdução honesta, sem perder tempo, pode assistir apenas aos monges e às oficinas de meditação (contemplative labs).

Um diferencial dessa semana foram as entrevistas. A 1ª foi com Erik Braun, professor de estudos religiosos, que falou sobre a influência de Mianmar na popularização da meditação no ocidente.

E a maneira natural e simples dele expôr já torna o assunto bacana, porque cita muitas figuras interessantes e descreve de maneira chocantemente simples as técnicas de meditação insight de escolas diferentes. Como seria bom começar cada módulo com uma descrição assim!

As outras duas entrevistas são muito curiosas: uma com um professor de marketing e outra com uma professora de direito. As associações entre essas matérias tão distantes das práticas contemplativas dá pano pra manga. Se você é publicitário ou advogado, é muito provável que ache as entrevistas imperdíveis.

O bacana é ver como a importância da meditação varia entre escolas diferentes de budismo, entre ocidente e oriente, e como ela pode ser aplicada em profissões sem nenhuma relação direta. Como a minha e, muito provavelmente, a sua.

2 Comentários

  1. razmth
    ·

    Legal seu feedback, Z! Você pulou muita coisa no meio do caminho ou você foi devorando tudo, por já ter uma experiência prévia com “cursos” presenciais e outras tantas leituras?

    Responder
    1. ZNP
      ·

      Opa raz! Assisti tudo! Estava muito interessado no conteúdo inteiro, e principalmente sobre a parte das pesquisas. Mas quem quer só meditar, não precisa de tanto! Seguindo os contemplative labs já dá pra entender como funciona! É simples! Uma turma é que complica (o prof Germano, por exemplo! Hehe!)

      Responder

Deixe sua opinião